Tratamento de manchas bacterianas em ameixa - Gerenciando manchas bacterianas em ameixas


Por: Teo Spengler

A mancha bacteriana é uma doença que ataca frutas de caroço, incluindo ameixas. É encontrado em todos os estados frutíferos na metade oriental do país, afetando as folhas, galhos e frutos de uma árvore frutífera. Se você tem ou planeja ter ameixeiras no pomar de sua casa, você vai querer aprender sobre a mancha bacteriana nas ameixas. Continue lendo para obter informações sobre ameixas com mancha bacteriana e dicas para controlar a mancha bacteriana da ameixa.

Ameixas com Mancha Bacteriana

A ameixa não é a única fruta suscetível à mancha bacteriana. A doença também afeta nectarinas, damascos, ameixas e cerejas. A infecção severa pode resultar em frutas de baixa qualidade e até mesmo na perda devastadora de frutas. Árvores ornamentais também podem pegar essa doença.

Mancha bacteriana em ameixas é causada por Xanthomonas, uma bactéria que se desenvolve em climas chuvosos de verão - clima típico de verão em muitas regiões. Atualmente, não existe um tratamento eficaz para manchas bacterianas da ameixa.

Sintomas de manchas bacterianas em ameixas

Os primeiros sintomas que você pode ver em ameixas com manchas bacterianas são numerosas manchas foliares minúsculas. Eles começam como círculos encharcados de água, mas rapidamente se desenvolvem em lesões roxas ou marrons profundas. Os centros secos muitas vezes se rompem, deixando um efeito de buraco de tiro ou vento. É por isso que a mancha bacteriana na folha também é conhecida como buraco de injeção bacteriana.

A mancha bacteriana nas ameixas também ataca pequenos galhos e também frutas. Isso torna a fruta desagradável para comer e também reduz drasticamente a qualidade.

Tratamento de manchas bacterianas de ameixa

Você pode controlar a mancha bacteriana em alguns tipos de árvores frutíferas, aplicando o antibiótico oxitetraciclina. No entanto, os produtos que contêm essa substância não são rotulados para uso em ameixas com manchas bacterianas. Isso significa que não existe um tratamento eficaz para manchas bacterianas da ameixa.

Embora o controle químico não tenha sido eficaz, você pode tentar controlar a mancha bacteriana da ameixa com práticas culturais. É importante cuidar bem das suas ameixeiras, incluindo todos os nutrientes de que necessitam para se desenvolverem. Árvores vigorosas não são tão suscetíveis à doença quanto árvores estressadas ou negligenciadas.

Qualquer prática cultural que faça com que os frutos e a folhagem da ameixeira sequem mais rápido reduz o risco de infecção. Por exemplo, aparar os galhos internos para permitir o sol e o vento no dossel pode ajudar a prevenir esse problema.

Este artigo foi atualizado pela última vez em

Leia mais sobre ameixeiras


Texas Plant Disease Handbook

Prunus domestica e Prunus salicina

Canker Bacteriano (bactéria - Pseudomonas Syringae): As aftas se desenvolvem na base de botões infectados no tronco e nos galhos do andaime. As aftas se espalham mais rapidamente acima do ponto de infecção do que abaixo e apenas ligeiramente para os lados. Isso resulta em um cancro longo e estreito. Cankers se desenvolvem durante o outono e inverno, mas não são visíveis até o final do inverno e início da primavera. As áreas danificadas são ligeiramente afundadas e de cor um pouco mais escura do que a casca circundante. À medida que as árvores quebram a dormência na primavera, a goma é formada e flui para o lado de fora da árvore. Cankers tem um cheiro azedo. A bactéria é um patógeno fraco e causa sérios danos apenas quando a árvore está quase dormente ou enfraquecida devido a condições desfavoráveis ​​de cultivo. Evite o uso de altas taxas de fertilizantes no final do verão. O crescimento suculento no final do outono é mais facilmente infectado. Faça a poda quando as árvores estiverem totalmente dormentes (janeiro e fevereiro). Árvores com sinais de cancro bacteriano devem ser deixadas e podadas após todas as outras árvores terem sido concluídas.

Podridão parda (fungo - Monilinia fructicola): O fungo da podridão parda pode causar a podridão das flores ou da fruta. A umidade da superfície e temperaturas moderadamente altas estimulam seu desenvolvimento. Frutas danificadas pelo vento, granizo, insetos ou meios mecânicos são mais suscetíveis a este organismo. As flores infectadas são marrons e encharcadas de água. O fungo cresce pelo pedicelo até o caule, o que pode causar a morte do galho. Flores e frutas doentes geralmente ficam cobertas com "tufos" de material fúngico marrom (Ver foto) A infecção de frutas geralmente ocorre perto da maturidade. O organismo fúngico hiberna em múmias, cancro do caule e pedúnculos de frutas velhas. O controle é por aplicações repetidas de fungicidas (Veja a tabela abaixo) e saneamento.

Mancha bacteriana de ameixa (bactéria - Xanthomonas campestris pv. pruni): Os sintomas são observados primeiro como lesões pequenas e de formato irregular. As manchas são verdes claras em contraste com o tecido circundante verde escuro. Em estágios avançados, formam-se lesões angulares, circundadas por um halo de tecido de cor mais clara. A parte interna da lesão fica preta e desaparece. Isso dá à folha uma aparência “irregular” ou “buraco de tiro”. As folhas fortemente infectadas com manchas bacterianas ficam amarelas e caem. As manchas foliares estão concentradas na extremidade distal da folha. A infecção de frutas não é tão comum quanto a infecção de folhagem. Quando isso ocorre, pequenas manchas se desenvolvem e a gengiva pode fluir dessas manchas. Variedades altamente suscetíveis como Methley e Santa Rosa têm mais probabilidade de ter infecções de frutas do que Morris, Bruce ou Ozark Premier. A bactéria sobrevive em galhos infectados. Controle químico (Veja a tabela abaixo) não foi altamente eficaz. Sprays de cobre dormente precoce e tardio ajudarão no controle. A nutrição ideal também é importante.

Ferrugem (fungo - Tranzschelia discolor): Os sintomas iniciais são pequenas manchas amarelas nas superfícies superiores das folhas. À medida que o fungo se desenvolve, lesões de ferrugem avermelhadas a marrom-escuras se abrem nas superfícies inferiores das folhas (Ver foto) O fungo da ferrugem específico que ataca as ameixas não ataca os pêssegos. A ferrugem é geralmente um problema de final de temporada que causa desfolhamento rápido. Se a desfolha for repetidamente prematura, a produção pode ser afetada. Controle químico (Veja a tabela abaixo) é uma opção viável, mas geralmente não é necessária. Bruce e Morris são suscetíveis. Methley, Santa Rosa, Ozark Premiere e Allred são tolerantes ou resistentes.

Folha de Cereja Mancha (fungo - Coccomyces hiemalis): As folhas infectadas apresentam pequenas lesões circulares roxas que ficam marrons e, eventualmente, desaparecem. Isso dá à folhagem uma aparência irregular ou esburacada. A precipitação é necessária para o desenvolvimento da doença. Os fungicidas protetores aplicados para outras doenças proporcionam um controle econômico. Esta é considerada uma doença secundária nas ameixas.

Nó Preto em Ameixa (fungo - Apiosporina morbosum): Os galhos e galhos afetados estão malformados como resultado de crescimentos lenhosos negros (galhas). As galhas são semelhantes às causadas pela galha em coroa no sistema radicular. A doença é mais prevalente nos ramos pequenos, mas em condições severas de doença pode ser encontrada em membros grandes. A infecção de novos brotos ocorre desde a floração até o estágio de divisão da casca. O inóculo primário vem de galhas com um a dois anos de idade. O controle do nó preto é feito por meio de saneamento, produtos químicos e variedades resistentes. Podar e destruir o tecido com galhas. Faça cortes cinco ou sete centímetros abaixo da bílis para garantir a remoção completa do fungo. Fungicidas aplicados (Veja a tabela abaixo) nos primeiros períodos de floração ajudará a reduzir a ocorrência desta doença.

Bolsos ameixa (fungo - Taphrina communis): Os bolsões de ameixa são um distúrbio frutífero de pouca importância econômica. A infecção ocorre logo após a abertura do botão em condições frias e úmidas. A casca da fruta é inicialmente avermelhada e depois cinza aveludada. A fruta infectada fica distorcida e inchada. A doença é semelhante à ondulação das folhas de pêssego, exceto que as frutas, em vez das folhas, são atacadas. Um programa de fungicidas (Veja a tabela abaixo) usado para controlar o enrolamento da folha de pêssego também controlará os bolsões de ameixa.

Pitting do caule de Prunus (ponto de anel do vírus-Tomato): (Veja a seção sobre Pêssego)

Armillaria Root Rot (fungo - Armillaria tabescens): (Consulte a seção sobre Podridão de raiz de Armillaria / Podridão de raiz de cogumelo)

Podridão da raiz do algodão: (Veja a seção sobre Podridão da raiz do algodão)


Seleções Ornamentais

As ameixeiras ornamentais de folha roxa (Prunus cerasifera) oferecem uma bela folhagem, além de suas flores coloridas. Quando o frio do inverno ainda está no ar, "Krauter Vesuvius" floresce já em janeiro em climas temperados. Amigos da Floresta Urbana cita que esta cultivar é uma das primeiras árvores floridas na primavera, com flores perfumadas abrindo em galhos nus antes que as folhas roxas quebrem o botão. “Thundercloud” e “Mt. St. Helens ”são outras cultivares de ameixeiras ornamentais que mantêm as folhas roxas ao longo da estação de crescimento. As árvores crescem melhor nas zonas de resistência de plantas 5 a 8 do Departamento de Agricultura dos EUA.


Assista o vídeo: DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS - Doenças bacterianas. Biologia com Samuel Cunha


Artigo Anterior

Plantas de baixa manutenção para jardim de quintal

Próximo Artigo

Terra verde paisagem e design nova york